Redação – Kauê (SESI Campo Grande)

4 minutos para ler

O crime internacional por meio do estereótipo

Segundo a historiografia, nota-se que desde o Brasil colônia a imagem da mulher é erigida como parte de um estereótipo do país, pelo fato dos portugueses classificarem a nação como exótica. Analogamente, a ideia se consolidou pelo exterior e hoje em dia o turismo sexual é um dos maiores problemas do Brasil. Por certo, esse assunto é desconhecido por muitos brasileiros, mas movimenta milhões de reais, envolvendo além das mulheres, diversas crianças e adolescentes. Assim, a exposição das mulheres brasileiras e a interpretação maldosa continua abrindo caminhos para interesses estrangeiros e a educação permanece influenciando fortemente a sociedade.

Em princípio, deve-se entender que o turismo sexual é baseado em possíveis destinos que tenham como primeiro plano a busca de relações sexuais por dinheiro e atitudes ilegais, muitos estrangeiros ao assistirem a transmissão do carnaval e fazerem pesquisas na internet projetam a ideia de um país sexualmente liberal. De acordo com o site Global Voices, um artigo de Katia Belisário indica “Jornalistas, e a mídia estrangeira de modo geral, costumam mostrar a brasileira ao mundo com certa dose de malícia, excesso de preconceito e demasiada generalização”. Logo, é perceptível a influência da mídia estrangeira e a imagem da mulher brasileira no cenário internacional.

Ademais, é evidente que existe uma determinada classe que é mais afetada por esse turismo. A saber, relacionado ao artigo presente no site Direito Net, escrito por Antônio Baptista Gonçalves, “A maioria das aliciadas é composta por afro descendente, de classes populares, com baixa escolaridade”. Em síntese, devido à baixa escolaridade uma melhora nesse âmbito não tem uma previsão otimista, ou seja, a educação tem uma importância que não pode ser fornecida de forma diferente para ninguém.

Em resumo, o turismo sexual é muito explorado no Brasil e a imagem da mulher brasileira é mal interpretada no exterior, sendo os afro descendentes (com pouca presença na escola) as pessoas mais prejudicadas. Portanto, faz-se necessário que a Embratur divulgue mais as belezas naturais do país e a realização de parcerias com grandes mídias estrangeiras a fim de consolidar a imagem correta sobre as mulheres brasileiras. Ainda cabe ao Ministério da Justiça fazer fiscalizações em áreas com pouca escolaridade e no caso de apreensão de um indivíduo, aplicar punições mais rígidas, sem oportunidade de transferência para outro país até o final da pena, visando a justiça e melhor segurança da população. Como resultado, a imagem correta da mulher brasileira irá se estabelecer no exterior e os aliciadores irão pensar duas vezes antes de praticar o turismo sexual no Brasil, compactuando para uma sociedade mais justa e honesta.

Kauê
1ª série do EM
SESI Campo Grande

Destaques SESI – Mato Grosso do Sul

Ao longo do ano de 2020, alunas e alunos das séries finais do Ensino Fundamental II e de todo o Ensino Médio da Rede SESI do Mato Grosso do Sul realizaram oito atividades de escrita do gênero Enem no Programa Letrus. 

Estudantes gostaram muito da experiência e tiveram uma evolução incrível da primeira até a última atividade! E nós não poderíamos deixar passar essa oportunidade de valorizar e parabenizar cada um, não é mesmo?

Portanto, estamos publicando os últimos textos dos/das estudantes que, em cada série, de toda a Rede, realizaram todas as atividades no Programa Letrus e tiveram a maior evolução entre a primeira e a última redação.

Posts relacionados

Deixe um comentário