2 atividades de ensino híbrido para testar na sua escola

No atual cenário de aulas on-line e ensino híbrido, a inovação se faz necessária. E a maior parte das educadoras e educadores estão com dificuldades em relação a isso. Por isso, disponibilizamos dicas de atividades de ensino híbrido e materiais que podem te ajudar com as turmas. Saiba mais aqui.

O que é o ensino híbrido?
É um ensino no qual o aprendizado ocorre a partir da combinação de atividades presenciais em sala de aula e atividades on-line, facilitadas por meio de tecnologias digitais.

Nesse cenário, as atividades de ensino híbrido acabam sendo diferentes do que é comumente realizado em sala de aula, e com isso algumas turmas podem ficar menos engajadas. E te apoiar, selecionamos 7 atividades para engajar seus estudantes nas aulas on-line.

Atividades de ensino híbrido: o que é

As atividades de ensino híbrido são atividades flexíveis, que permitem ao estudante experiências de aprendizagem customizadas.
Quer entender melhor como funciona o ensino híbrido? Nos inspiramos nas propostas trazidas por Christensen, Horn e Staker (2012 apud Bacich, 2016, p. 682) para você aplicar em sua escola!

Atividades de ensino híbrido: exemplos

Fazer com que estudantes assumam um papel ativo e maior protagonismo em relação ao próprio aprendizado, é uma das premissas das atividades de ensino híbrido.
Separamos 2 atividades para você testar na sua escola:

  1. AULA INVERTIDA

Nessa abordagem, estudantes aprendem os conteúdos em casa antes das aulas. Desse modo, a sala de aula se torna um ambiente de discussão, interação e troca de aprendizados entre a turma e também entre alunos e professores.

Em outras palavras, se torna uma aula invertida, uma vez que estudantes aprendem em casa o conteúdo (e não mais na escola) e utilizam o espaço em sala de aula para realizar atividades sobre o assunto (como fariam em casa).

Assim, o que você acha de propor um tema para estudo coletivo da turma e combinar que a próxima aula será um momento de discussão com dúvidas, reflexões e provocações sobre o tema estudado?

Dicas Letrus:

Para todos participarem desse momento de troca, também vale adicionar um requisito: antes de iniciar a discussão, sorteie papéis de cores diferentes. Cada cor representa a possibilidade de fala do(a) estudante, e isso pode estimular todos a se pronunciarem sobreo tópico.

Aqui, professores assumem o papel de mediação da discussão e de incentivo à participação dos alunos.

Por exemplo:

  • Cor branca só traz fatos, informações e dados reais sobre o conteúdo;
  • Cor vermelha só traz sensações e sentimentos que o estudante teve ao aprender o conteúdo;
  • Cor verde só traz abstrações que o aluno teve a partir do conteúdo.

Você pode encontrar mais informações sobre a metodologia no livro: “Os Seis Chapéus do Pensamento”, de Edward De Bono.

  1. ROTAÇÃO POR ESTAÇÕES

A partir da definição de um tema de estudo, são criadas estações dentro da sala de aula. Cada estação deve conter uma atividade que faça parte do tema definido, mas que possua começo, meio e fim, além de independência das outras estações.
Portanto, é importante que as atividades sejam integradas ao tema maior, mas que não necessitem de uma sequência única. Além disso, como estamos falando de uma atividade de ensino híbrido, é importante que pelo menos uma das atividades utilize alguma tecnologia.

Nesse formato, educadores possuem o papel de tirar dúvidas, controlar o tempo para cada estação e incentivar estudantes a participarem.

Dicas Letrus:

Para a aula de Literatura, vamos separar a classe em três grupos. Cada grupo começa em uma estação diferente e vai rotacionando até passar por todas.

Existe a estação em que se pesquisa, de forma on-line, por meio de celulares e tablets, sobre quem é a pessoa que escreveu o livro e qual é o contexto social da época. A outra estação, por sua vez, é uma discussão sobre um personagem específico do livro. Já a terceira estação é uma leitura de um capítulo do livro em grupo.

Conclusão

O novo cenário apresenta diversos desafios, mas a formação de nossos estudantes não pode ficar em segundo plano. É necessário planejar aulas com atividades práticas de escrita, que aconteçam de forma on-line; a partir de ferramentas tecnológicas, que surpreendam e engajem estudantes; e que apresentem correções ágeis sem deixar de otimizar o tempo dos professores.

Dessa forma, é possível priorizar um processo de ensino personalizado, no qual o tempo de interação entre professor e estudante seja utilizado para trocas mais efetivas.

Entretanto, sabemos que isso pode ser difícil nesse momento, e até em um futuro próximo. Por isso, preparamos materiais e dicas com estratégias práticas para criar aulas apaixonantes no ensino híbrido. Clique aqui e receba!

Atividades de ensino híbrido para estudantes
O letramento amplia o possível

Deixar uma resposta